(Wix-Logo) Create a site!
100s of templates
No coding needed
Start now >>
LEIA TAMBÉM ...

A nossa casa 

Nossos dirigentes 

Introdução

Táta de Santo Milton de Xangô

 

Em setembro de 1972, Um jovem recém casado, visitando uma festa de Oxossi e Xangô  em primeiro contato com a nossa amada Umbanda recebeu a incorporação do caboclo Pena Branca na casa de Vó Maria Angélica Fernandes, dirigida pela Médium Dora. A partir desta data, passou a desenvolver-se e entender os fundamentos da religião, tendo como guias espirituais o sábio Pai José de Aruanda, o bravo caboclo Pena Branca e o astuto baiano Zé da briga. Em 2013 Milton de Xangô, tornou-se dirigente espiritual e Táta de santo da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

 

 

A história da umbanda Animismo Cavalo de Ogum

​Babalawô Carlos de Xangô

 
Vindo de uma família que sempre teve contato com a nossa amada Umbanda, teve sua primeira incorporação aos 16 anos de idade, mas o trabalho verdadeiro só aconteceu a partir de seus 25 anos, com a chegada do Preto-velho Pai Expedito (na Casa dirigida por Pai João de Angola) que — com sua sabedoria— começou atuar junto a corrente médica do centro, posteriormente se juntaram ao médium, o alegre  Baiano Uriel; Zé Francisco; Seo Sete Cruz  e Caboclo Pena Verde. Coroado Egbomi em 2008, hoje é Pai de santo da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo .
 
 

​Babalawô Rafael de Oxossi 

Desde Muito pequeno Pai Rafael, tinha visões e era constantemente levado por sua mãe para que a Médium Dona Hína o benzesse, de forma a acalma-lo.

  Aos 11 anos de idade, iniciava-se na umbanda na Casa dirigida Por Pai João de Angola ( frequentada por seu tio, Táta Milton de Xangô).   Com 12 anos passou por sua primeira incorporação, tomado pela entidade caboclo Piraí, a historia se repetiu em uma festa de Oxossi e Xangô.  Caboclo Piraí foi responsável por seu desenvolvimento inicial, um ano depois deu espaço para a chegada do caboclo Cobra Coral, bravo guerreiro das matas, e sucedeu com as incorporações de Pai Malaquias, Baiano Severino e Sr. Exu Capa Preta.
Coroado Egbomi em 2011, hoje é Pai de Santo na Casa de Caridade Filhos de São Miguel arcanjo.

 

 

 

Babá kekerê e ​Dirigente de Mesa Branca Wagner de Xangô

Em 1973,  Na Casa da Vó Maria Angélica Fernandes, o mentor espiritual Manoel de Soveral, transmitia suas primeiras mensagens, através de seu aparelho.
  No trabalho de mesa branca, acompanhado pelo querido irmão João Bezerra, em seguida, manifestaram-se o caboclo Sete flechas,Preto-velho Pai Thomaz e Exu Tranca-Rua, foram as entidades que se manifestaram na Umbanda por meio de Wagner de Xangô. Hoje, na casa de Caridade Filhos de São miguel arcanjo, ele é dirigente dos trabalhos de mesa branca, e coordena os demais Pais Pequenos da casa.
 
 
 

Pai pequeno Bruno de Ogun 

 
Aos 5 anos de idade, (conduzido por seus avós)  teve o primeiro contato com a umbanda, através do caboclo Pena verde. Bruno passou a imitar seus trejeitos e a aplicar passes em seu avô ( que sofria de reumatismo)  da mesma forma que o caboclo fazia duarnte as giras assistidas por ele.
 
 Tempos depois, em Outurbo de 2000 com 14 anos começeu a manifestar  visões e insônia; a convite de parentes, passou a frequentar novamente a religião, passando a desenvolver sua mediunidade. O responsavél pelo desenvolvimento inical de sua mediunidade foi Caboclo Arruda no dia 14-03-2001, se estendendo aos trabalhos com Preto-velho Cipriano, Baiano Sebastião, Exu Pinga Fogo e por fim o mestre Jesuá, da linha do oriente.
 
 Bruno foi coroado Vodun (Médium rodante) em Agosto 2008. Em  Junho de 2013 foi coroado Pai Pequeno da Casa Filhos de São Miguel 
 

Pai pequeno Dárcio de Obaluaê.

Seu primeiro contato com a espiritualidade se deu através da doutrina kardecista.
Em  meados de 2008 teve contado com a umbanda, sendo levado por um casal de conhecidos á corrente de pai João de Angola, sendo recebido por Pai José de Aruanda e por seu  Zé da Briga.
Em 01 de abril de 2008 vestiu o branco pela primeira vez, chamando os assistidos para entrarem em gira, posteriormente, foi designado a trabalhar na tronqueira, auxiliando nos trabalhos de doutrinação e desobsessão.
 
  No Inicio de 2009 teve sua primeira manifestação mediúnica (incorporação) recebendo o templario Saladino (linha do oriente) e o Preto-velho Pai Angelo, sendo coroado Egbomi (Irmão mais velho) em 2011. Com uma nova responsabilidade também vieram novas energias e entidades. Além de Pai Angelo; Saladino; Zé da Peixeira; Justino e Gustavo apresentaram-se para o Trabalho: Seo 7 Sombras; Seo Cobra Coral; Caveirinha; Sara e Caboclo Pena Branca. Em 2014 foi coroado Pai pequeno.
 

 

Pai Pequeno Roni de Omulú

Começou no Kardecismo aos 17 anos de idade. Permaneceu no mesmo templo por volta de 20 anos, onde conheceu sua esposa.

 Durante este periodo, já conhecia e respeitava a Umbanda; se afastou do centro espirita que frequentava, até chegar (por intermédio de uma amiga) a corrente que era comandada por Pai João de Angola; a convite do Táta Milton de Xangô, foi convidado a trabalhar na Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo, sua Primeira entidade de Umbanda  se  manifestar foi o Preto-Velho Véio Zuza, entre as principais entidades que o auxiliam nos trabalhos estão: Exu Zé Pilintra das Encruzilhadas, Caboclo Sete Penas Verdes e o  Baiano Cipriano.

Foi coroado em 2014 irmão mais velho e em 2015 passou a ser um dos dirigentes espirituais da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

 

 

Mãe Pequena Sandra de Yansã

  Nascida em uma familia espirita, Sandra sempre viu seu pai incorporar-se do Preto-Velho Pai Zambi, do qual apelidou carinhosamente de vovô, durante sua infância.

  Aos 8 anos passou a ver espiritos e acreditava que eram seus ''amigos invisíveis'', como seu pai os apelidara. Sandra passou a frequentar a ordem Rosacruz com seus pais e desta forma, passou a ter suas primeiras experiências mediúnicas, entrando em transe ao soar de um gongo que era utilizado na ritualistica da ordem e retornando a seu estado normal, somente quando soavam o gongo novamente. Passou toda sua adolescencia participando dos estudos de seus pais, juntamente com seus irmãos e alguns familiares, fez parte das reuniões da Rosacruz dos 12 anos de idade até os 35 anos.

  Aos 20 anos, participou de sua primeira gira de Umbanda em um terreiro em Jandira, sua primeira incoporação foi da entidade Caboclo Pena Dourada e, posteriormente a criança Julinha, entidades das quais Sandra trabalha sob auxilio  até hoje.

  Permaneceu, junto á sua familia realizando trabalhos de Mesa Branca em sua residência, dirigidos por seu Pai, que acometido de uma doença pediu a Sandra que assumisse em seu lugar tais trabalhos. Após o desencarne de seu Pai a entidade Preto-Velho Zambi, passou a assistir Sandra em seus trabalhos mediúnicos.

  Chegou a corrente de Pai João de Angola por conta de um de seus irmãos, que faleceu e constantemente a perturbava, e passou a fazer parte do corpo mediunico da corrente. O Preto-Velho Pai Zambi deu Lugar a entidade Preta-Velha Vó Catarina.

  Foi convidada por Táta Milton de Xangô, para fazer parte do corpo mediúnico da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo. Em 2014 foi coroada irmã mais velha e em 2015 passou a fazer parte da dirigência da casa, tornando-se Mãe Pequena.

 

 

 

 

 

Mãe Pequena Lídia de Oxum

  Nascida em família espírita, frequentava centros de umbanda desde muito pequena. Aos nove anos, seu primo (ao fazer uma experiência de escola) teve 100% de seu corpo queimado e,na intenção de cura-lo, sua familia passou a realizar anualmente festas de Cosme e Damião  entregando a vida do menino as entidades— Lidia e sua familia realizaram 34 festas para agradecer a vida de seu primo, e passaram a realizar os trabalhos na residência de sua tia.    Em 1980, Lídia passou a participar das giras e sua primeira incorporação foi da entidade Cabocla Jurema. Em certa ocasião foi levada por uma amiga a corrente de Pai João de Angola, e lá, foi amaparada por Pai Malaquias, permanceu na corrente por 8 anos, quando a convite do Táta Milton de Xangô, passou pertencer ao corpo mediúnico da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo 

  As principais entidades que a auxiliam nos trabalhos são: Preta-Velha Vó Joaquina, A criança Julinha, Baiana Severina, Exu Sete Ruas, Pomba-Gira Maria Padilha,o Marinheiro Pedro do Mar e  a Cigana Madalena.

  Em 2014 foi coroada Irmã mais Velha e em 2015 passou a fazer parte do corpo de dirigentes da casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

Pai Pequeno Luciano de Ogum

 Seu Primeiro contato com a espiritualidade aconteceu quando criança, foi levado por sua mãe ao centro espirita Vó Maria Angelica Fernandes,  (por motivo de ter sono perturbado e constantes visões). Ao desencarne de seu tio, em 1991, começaram as primeiras manifestações mediúnicas de Luciano, e novamente foi encaminhado para o centro de Vó Angelica, amparado pela entidade Vó Angelica , Por Preto-Velho Pai Tomáz ( entidade do Babákekerê Wagner Cuenca) e por Caboclo Pena Branca ( entidade que trabalha com o Táta Milton de Xangô)  e então passou a desenvolver-se mediunicamente; Sua primeira incorporação foi da entidade Preto-Velho Pai João de Angola, posteriormente, nos trabalhos de mesa branca realizados pelo centro, passou a trazer o Doutor Airton Pereira da Silva e com a autorização do Dr. Bezerra de Menezes ( Entidade auxiliadora de Dona Dora, Dirigente da casa Vó Angélica) passou a fazer parte da corrente de medicina espiritual.

Devido a problemas de Saúde de Dona Dora, em 2012, A casa Vó Angélica fechou suas portas, e a convite do Táta Milton de Xangô e do Babákekerê Wagner Cuenca , Luciano foi convidado a fazer parte do corpo mediúnico da casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

A principais entidades que auxiliam Luciano nos trabalhos são:  O marinheiro Teodoro, a criança Pedrinho, Exu Caveira, cigano Ramiro,  Zé Pelintra, Preto- Velho  Pai João de Angola,  Caboclo Ubirajara Peito de Aço, Cangaceiro Mariano,  além do médico espiritual Dr Airton Pereira da Silva .     

 

Mãe Pequena Lúcia de Ogum

Lúcia teve sua primeira incorporação em 1988, conduzida por sua irmã, Adepta do Candomblé. Em Recife passou a frequentar o centrode Umbanda da Yalorixá Didi, auxiliando como Samba (cambona).Mudou-se para São Paulo e passou a dar manifestações esporádicas de guias sem frenquentar nenhuma casa. dotada de rara incorporação inconsciente veio, a convite do Pai Rafael de Oxóssi a fazer parte do corpo mediúnico da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo, se tornando Mãe Pequena em 2015 

 

 Pai Pequeno Leandro de Xangô

 O primeiro contato  de Leandro com a espiritualidade aconteceu na infância, quando comia doces das festas de Cosme Damião escondido de sua mãe. De criação católica, Leandro nunca entendeu os sintomas mediúnicos que sentia. Aos 14 anos, abandonou o kung-fu por sempre se sentir mal ao rezar para os ancestrais no inicio dos treinamentos, em frente a uma imagem e uma vela.     O batuque e cultura afro sempre lhe atrairam muito, vindo a formar diversos grupos de samba e pagode para saciar a "sede da curimba".

   Em 2006 mudou-se para Varginha e, em 2009, em um passeio à São Paulo, visitou a casa comandada por Pai João de Angola, em uma Festa de Cosme Damião, onde despertou interesse e manifestou forte emoção; neste instante programou sua volta a São Paulo e, em 2010, passou a frequentar a casa, onde contou com a ajuda de quem se tornaria seu grande inspirador, Sr. Jesuá, entidade do Pai Pequeno Bruno de Ogum, passando desenvolver-se espiritualmente e trabalhar na casa em questão, onde atuava na queima. Em 2012, integrou-se ao primeiro grupo de médiuns formado pelo Táta Milton de Xangô, tornando-se Presidente Material e Ogã de Gira. A primeira manifestação, que despertou sua mediunidade de incorporação, veio na primeira festa da cachoeira da casa, onde incorporou o Caboclo 7 Flechas. Em 2014, tornou-se Ogã Kolofé e em 2015 foi coroado  Pai Pequenos da Casa De Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

 Mãe Pequena Tessie de Yansã

  O primeiro contato de Tessie com a Umbanda se deu aos 3 anos de idade, acompanhada de sua mãe, foi até a casa de Mãe Yansã, comandada pela entidade Pai João de Angola, (frequentada  na epoca por Táta Milton de Xangô).  De criação católica, sempre teve visões que nunca foram levadas a sério por seus familiares (por conta de seus costumes e crenças). Aos 13 anos Mudou-se para S.J. do Rio Preto e aos 15 anos, passou a frenquentar a Tenda Caboclo Irajara, dirigida pela Yalorixá Yalecy D´Oxum. Sua Primeira incoporação foi da entidade Maria Molambo.  Tessie passou a morar com Yalecy no Ilê Indê Airê Afro Caire, onde aprendeu com a Yalorixá os segredos dos Orixás. Em 2011 Mudou-se para São Paulo e convidada pelo Táta Milton de Xangô e por Pai Rafael de Oxóssi, passou a fazer parte do corpo mediúnico da Casa de Caridade Filhos de São Migeul Arcanjo.

As principais entidades que auxiliam Tessie nos trabalhos são: Preta-Velha Maria Flor, Pomba-Gira Maria Molambo, Cabocla Jurema, Exu Caveira, Baiana Maria da Penha e a Criança Mariana.

Foi coroada irmã mais velha em 2014 e em 2015 passou a fazer parte da dirigência da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo.

(Wix Logo)
This site was created using
Create your own for FREE >>